Sexta, 12 de Julho de 2024
17°C 19°C
Ilha Comprida, SP

GERALDINO JÚNIOR FOI CASSADO EM SESSÃO MAIS LONGA DA HISTORIA DE ILHA COMPRIDA

Por 7 a 2, prefeito é cassado em sessão de julgamento. 

05/07/2024 às 13h40 Atualizada em 05/07/2024 às 13h46
Por: José Roberto Venâncio de Souza Fonte: Redação
Compartilhe:
GERALDINO JÚNIOR FOI CASSADO EM SESSÃO MAIS LONGA DA HISTORIA DE ILHA COMPRIDA

A sessão começou às 14 horas do dia 4 de julho e se estendeu até às 3:30 da manhã do dia seguinte (5 de julho), seguida de muita tensão por parte do prefeito e plateia.

Para que a sessão fosse julgada, o ex-prefeito pediu que fosse lido todo o processo, que contém mais de 600 folhas. Algumas horas após a sessão iniciar, tentou obstruir por diversas vezes a leitura do processo para que ele pudesse apresentar sua defesa, o que foi negado pelo presidente da Câmara Municipal, Fábio Rogério Tonon.

“Nós temos que respeitar o rito, foi um pedido do próprio prefeito e precisa ser lido”. – Fábio Tonon, presidente da Câmara Municipal

A leitura das páginas do processo iniciou-se logo que a sessão começou e terminou por volta da 1 hora da manhã do dia seguinte, onde os vereadores Milton Cézar Pires (1º secretário), Daniel de Silveira Ramos (2º secretário) e Fabiano (relator da comissão que pediu a cassação), revezavam por diversas vezes a leitura. 

Haviam protestos a favor e contra a cassação e a segurança teve de ser reforçada quando o ex-prefeito adentrou o plenário, desobedecendo a ordem de afastamento pedida pelo presidente da Câmara, que reforçou a lisura da sessão e reiterou que Geraldino respeitasse o parlamento.

“O senhor não pode adentrar o Plenário, Sr. Prefeito. O senhor precisa respeitar essa casa.” – Fábio Tonon, presidente da Câmara

Em meio ao tumulto, o ex-prefeito chegou a dar voz de prisão ao presidente da sessão, mas não obteve êxito. 

Por quase 2 horas, Geraldino Júnior apresentou sua defesa, onde passou maior parte do tempo defendendo sua gestão e atacando vereadores, deixando de lado o objeto principal que o levou a ser cassado. 

O motivo da cassação

Segundo denúncia realizada e relatório feito pela Comissão de Investigação Processante, onde o vereador Rogério Revitti é presidente, Ivan Heleno é membro e o vereador Fabiano relator, o prefeito não respondeu requerimentos de 2024 e 2023, o que incorre como crime de improbidade político-administrativa, e que pode levá-lo a perda do mandato por omissão à informação. 

O vereador Rogério Revitti foi elogiado por apoiadores e até base do ex-prefeito propagou palavras de admiração, onde em discurso o vereador Ivan Heleno diz que Rogerinho foi a única oposição de verdade e que se manteve firme em seu posicionamento. 

“Desde inicio ele foi oposição, pois se manteve firme naquilo que acredita desde o início.”  - Vereador Ivan Heleno

A mesa diretora, na fala do presidente da Câmara Municipal, declarou cassado o prefeito por 7 votos favoráveis e 2 contrários (Vereador Ivan Heleno e vereador Daniel Ramos).

A data de posse da atual vice-prefeita, Maristela, foi marcada para às 15:30, na data de hoje, 5 de julho de 2024.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias